Roleta Russa

 
Sabe quando você se sente tão patética, tão ridícula que nem chorar de vergonha ou de autopiedade alivia essa sensação? Se sentir um lixo é a sensação mais presente nesses momentos... não ter controle da sua raiva, não ter controle das suas emoções faz de você uma pessoa fraca, instável e, por que não, perigosa... Perigosa, porque sua insanidade é tanta que ninguém consegue prever - nem você mesma - que você é uma ameaça para as pessoas ao seu redor... se autodestruir pode ser até um direito seu, mas ferir o outro não... O que você tem a oferecer nessas horas é apenas uma parte do que você realmente é: e essa parte de você que é ruim é uma parte que você permite que exista... mas se você arranca isso, você também deixa de existir. Não que eu acredite que o ser humano seja dividido em partes, mas há vários fragmentos que formam um todo... Ter uma parte de si destrutiva não te faz de todo mal, mas te torna uma pessoa impulsiva: dependendo de seus sentimentos em determinada situação, existe um você diferente, um você que nem você sabe quem é. Mas mesmo assim, você insiste em ter pessoas que ama ao seu lado, quando você sabe que pode apertar o gatilho na pessoa errada. No fim, você se sente desprezível... e percebe/descobre que é especialista em magoar quem ama.

KC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina do sorriso

Fragmento (i)letrado